Fonte: Agência Indusnet Fiesp

Elas ainda são desconhecidas das empresas, mas não param de crescer no país. Segundo Sylvio Gomide, diretor titular do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria e do Acelera Fiesp, “o crescimento da procura pelas fintechs é exponencial, mas elas ainda não são conhecidas”. Operando com custos menores, essas instituições conseguem reduzir as taxas cobradas aos empresários. “O índice de satisfação é alto, precisamos apresentar essas possibilidades ao mercado”, explicou.

A pesquisa divulgada pela Fiesp chama-se “Fintechs: alternativas aos bancos tradicionais”, elaborada pela federação com a participação de 400 indústrias no estado. Conforme o estudo, as fintechs ainda são pouco conhecidas pelas empresas: 54,8% nunca tinham ouvido falar do assunto. “Mas há espaço para crescimento, já que a principal motivação das empresas que nunca buscaram crédito ou utilizaram outros serviços financeiros fora do sistema bancário tradicional é a falta de conhecimento, caso de 42,4% dos entrevistados”, explicou.

Entre os motivos para acreditar na expansão dessas instituições no Brasil está o fato de que 78% das fintechs nacionais têm serviços financeiros para oferecer às empresas.

Já a principal área apontada pelas empresas da pesquisa da Fiesp como atendimento deficiente pelos bancos tradicionais é a de crédito para capital de giro (56,1%). “Cerca de 28,5% das empresas já buscaram crédito em instituições financeiras outras que não os bancos tradicionais”, disse Gomide.

A motivação para fugir dos gigantes do mercado financeiro é a facilidade na contratação para 53% dos empreendedores, seguida pela agilidade no retorno da operação (50,4%) e pelas melhores taxas/tarifas (48,7%).

Segundo Gomide, 20,5% das empresas já usaram serviços financeiros fora do sistema tradicional. “Dessas, 76,5% avaliam a experiência como boa ou excelente”, explicou.

Nessa linha, as melhores tarifas (51,5%) e a facilidade na contratação (41,7%) também motivariam quem nunca procurou uma fintech a dar uma chance a essas instituições.

Para baixar a pesquisa completa, é só clicar aqui.