A Secretaria de Política Econômica (SPE), ligada ao Ministério da Economia, produziu e divulgou um estudo, no dia 13 de junho, que traz uma análise sobre fintechs, os benefícios das inovações tecnológicas para o sistema financeiro e da adoção do regime de regulação conhecido como sandbox no Brasil. De acordo com o órgão, a iniciativa atende a diretriz de “promover o desenvolvimento sustentável dos mercados de crédito, capitais, seguros, resseguros, previdência complementar, capitalização e dos diversos setores econômicos, buscando estimular o desenvolvimento, competição e abertura dos mercados.

Conforme a SPE aponta no documento, o órgão “reconhece a importância de acompanhar a evolução das tendências desse mercado no cenário nacional e internacional. Essas empresas oferecem serviços mais ágeis e convenientes para os consumidores, com o potencial de promover a inclusão financeira, aumentar a competição no mercado financeiro, reduzir custos e atenuar falhas do mercado, dependendo dos setores em que atuam”. Ao mesmo tempo, ele explica que as “empresas inovadoras podem trazer riscos ao sistema financeiro. A tecnologia pode amplificar as ameaças aos consumidores, ao possibilitar esquemas de fraudes de larga escala, violações de privacidade de dados e riscos de cibersegurança”.

Para ter acesso ao documento completo, clique aqui http://www.economia.gov.br/central-de-conteudos/publicacoes/relatorios-e-boletins/2019/publicacao-spe-fintech.pdf/view