Fonte: MCTIC

Recurso proveniente da Lei da Informática será aplicado pela Embrapii para ampliar a modernização da indústria nacional

O diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães e o ministro do MCTIC, Marcos Pontes.

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) vai destinar R$ 8 milhões para empresas que queiram desenvolver projetos de inovação em Internet das Coisas (IoT) e Manufatura 4.0. A aplicação dos recursos será feita pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). A liberação do montante foi anunciada no dia 31 de juho, em Brasília, durante encontro do ministro Marcos Pontes com o diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães.

“A Embrapii tem um modelo de negócio que é comprovadamente eficiente e ajuda a alavancar projetos de tecnologia e inovação de empresas que atuam em diversos setores”, afirmou o ministro Marcos Pontes. Segundo ele, o MCTIC tem a meta de melhorar a posição do Brasil no Índice Global de Inovação, do atual número 66 para os 20 países mais inovadores do planeta.

O diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães, destaca que a economia digital tem grande potencial para transformar a competitividade do Brasil. “O uso de tecnologias digitais é decisivo para a para o desenvolvimento econômico do país. Investir em IoT e em manufatura 4.0, seja em produtos ou processos, contribui para o aumento da competitividade das empresas, com redução de custos e ganhos de eficiência”, afirma.

A Embrapii coordena o PPI em IoT/Manufatura 4.0, programa do MCTIC criado para auxiliar o setor de informática a cumprir os investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) obrigatórios. Os R$ 8 milhões fazem parte do primeiro ciclo de liberação de recursos captados juntos às empresas beneficiadas pela Lei de Informática.

Empresas de todo porte podem participar sozinhas ou criar projetos colaborativos com startups, pequenas e médias empresas. A intenção é unir startups com ideias disruptivas e empresas consolidadas no mercado, propiciando a abertura de mercado a jovens empreendedores e permitir que conhecimento de vanguarda penetrem no tecido produtivo da indústria do país. Projetos em conjunto podem garantir até 50% de recursos não reembolsáveis para seu desenvolvimento.

Os projetos devem ocorrer em parceria com as Unidades Embrapii, instituições de pesquisa científica e tecnológica credenciadas e capazes de atender a demanda empresarial. Para negociar os projetos, empresas interessadas podem procurar uma das 19 Unidades Embrapii habilitadas a desenvolver projetos com estes recursos pelo país.

Para o secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Paulo Alvim, a iniciativa tem uma grande capacidade de alavancar novos investimentos. “A rapidez de contratação, o diálogo aberto com as empresas e a flexibilidade são grandes vantagens do sistema Embrapii,” afirma. “Além disso, precisamos lembrar que para cada R$ 1 que nós investimos, a Embrapii coloca mais R$ 1, além dos recursos aplicados pelas ICT e empresas desenvolvedoras dos projetos. A verdade é que esses R$ 8 milhões podem, na prática, alavancar outros R$ 30 ou R$ 40 milhões para projetos de inovação.”

A Indústria ou Manufatura 4.0, é o estágio de maturação industrial em que a automação atinge novos níveis com o uso de tecnologias digitais, tais como a inteligência artificial e Internet da Coisa (IoT). A adoção de tecnologias que conectam as diferentes etapas produtivas é o caminho para ganhar eficiência e melhorar a gestão de negócios, no entanto, pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) indica que apenas 1,6% da indústria nacional está na fronteira do conhecimento.