Fonte: Embrapa

AgroAPI vai disponibilizar informações e modelos gerados pela Embrapa para que empresas e startups desenvolvam softwares e aplicativos

A Embrapa Informática Agropecuária lançou, durante a 26ª edição da Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), uma ferramenta pioneira no Brasil para atender ao mercado de tecnologias em agricultura digital. A plataforma AgroAPI vai ofertar informações e modelos gerados pela Embrapa que poderão ser utilizados por empresas e startups para a criação de softwares, sistemas web e aplicativos móveis para o setor agropecuário, com redução de custo e de tempo.

A plataforma AgroAPI contempla desde informações sobre produtividade e cultivares até zoneamentos agrícolas, que podem ser úteis, por exemplo, no desenvolvimento de soluções para o planejamento e monitoramento da produção e a gestão de risco agrícola. Países como os Estados Unidos, a Austrália e a França já dispõem de plataformas semelhantes.

A chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária, Silvia Massruhá, explica que a iniciativa visa contribuir para impulsionar o desenvolvimento da agricultura digital no país. “A AgroAPI tem potencial para ser um ambiente de compartilhamento de dados, informações e modelos sobre a agricultura brasileira, que envolva todo o setor produtivo, como empresas de tecnologia e do agronegócio, startups, centros de pesquisa e instituições públicas e privadas”, completa.

Os dados serão disponibilizados pela ferramenta de forma totalmente virtual por meio de APIs (Interface de Programação de Aplicativos, na tradução do inglês). Elas consistem num conjunto de padrões e linguagens de programação que permite, de maneira automatizada, a comunicação entre sistemas diferentes de forma ágil e segura. Apesar de invisíveis para o usuário comum, as APIs são responsáveis pelo funcionamento de diversos recursos utilizados no dia a dia em aplicativos de mobilidade, sites de comércio eletrônico e redes sociais, entre outros nichos de mercado. O acesso à plataforma da Embrapa poderá ser gratuito, para uma versão degustação, ou pago de acordo com volume de requisições de APIs. O endereço é www.embrapa.br/agroapi.

Crédito agrícola

Uma das primeiras empresas a utilizar a AgroAPI é a GIRA – Gestão Integrada de Recebíveis do Agronegócio. Durante a cerimônia de lançamento da plataforma será assinado um contrato de cooperação técnica entre a Embrapa e a startup para o aprimoramento de um aplicativo de celular para apoiar operações do mercado de crédito agrícola. A GIRA foi uma das empresas selecionadas, em 2018, pelo programa Pontes para Inovação, uma iniciativa da Embrapa e Cedro Capital de fomento ao empreendedorismo, voltada para startups que almejam crescer com adoção de tecnologias da Embrapa.

Por meio da AgroAPI, a empresa terá acesso a modelos de produtividade para as culturas da soja, milho, arroz, feijão e trigo, além de uma série temporal de dados orbitais para monitoramento da vegetação. Essas informações vão ajudar a aperfeiçoar as análises de produtividade das lavouras financiadas e previsões de safra para auxiliar no processo de tomada de decisão na concessão e acompanhamento do crédito rural. O trabalho conjunto envolve o uso de inteligência artificial e o desenvolvimento de algoritmos de processamento de imagem.

Para o diretor da GIRA, Gianpaolo Zambiazi, a oferta de crédito inteligente, num país de dimensões continentais como o Brasil, é um grande desafio para o agronegócio. “A partir da base de dados da Embrapa, via AgroAPI, passamos a ter modelos preditivos de necessidades agronômicas, vis a vis com a necessidade de crédito. Com isso, nossa expectativa enquanto AgFinTech é de fato revolucionar o modelo de financiamento da produção agrícola no país, que entendemos ser escalável mundialmente”, ressalta.

Além da GIRA, a plataforma AgroAPI também já vem sendo utilizada pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) a partir do convênio de cooperação técnica firmado em 2018 com a Embrapa Informática Agropecuária. A instituição vem acessando, via APIs, informações sobre cultivares, época de plantio com menores riscos climáticos, previsão e monitoramento para cinco culturas agrícolas. Os dados estão sendo integrados ao sistema próprio da Emater-MG, que é utilizado por técnicos e extensionistas para orientar os produtores rurais do Estado no planejamento e na condução dos plantios.

Identificação de pragas e doenças

Além do lançamento da plataforma AgroAPI, a Embrapa Informática Agropecuária vai apresentar pela primeira vez, na Agrishow 2019, um conjunto de técnicas, baseadas em inteligência artificial, que podem auxiliar na identificação de sintomas de doenças em culturas agrícolas a partir do processamento de imagens digitais.

Uma rede de especialistas em fitopatologia da Embrapa e do Instituto Biológico ajudou a construir um banco com mais de 2 mil imagens de doenças em culturas de interesse comercial, como soja, café, feijão, trigo e milho. Chamado Digipathos, essa base de dados serve de referência para o desenvolvimento de métodos e algoritmos para detecção e reconhecimento automático de doenças em plantas.

A Embrapa espera agora estabelecer parcerias com empresas e instituições para levar a tecnologia ao usuário final. Durante a feira, será apresentado um protótipo de aplicativo para tablets e celulares que vai demonstrar o potencial de uso da tecnologia na identificação de pragas e doenças do café. A ideia é possibilitar um diagnóstico correto e precoce, contribuindo para a definição do manejo da lavoura, reduzindo perdas e evitando prejuízos.