A maratona de programação, que leva o nome de “Vacathon”, reuniu 90 estudantes de 16 instituições de ensino, acampados por cinco dias na sede da Embrapa Gado de Leite.

O projeto de aplicativo que os estudantes da PUC Minas, em Betim-MG, chamam informalmente de Tinder Bovis foi a primeira colocada no Vacathon, promovido pela Embrapa Gado de Leite, em Juiz de Fora – MG. A ferramenta leva o nome oficial de “I2A Conect”. É um software de convergência de dados que pretende reunir, num único aplicativo, informações sobre as características dos touros cadastrados nas diferentes centrais de inseminação. Por meio do  voltado para dispositivos móveis (celular e tablet), o produtor insere dados das fêmeas e identifica o sêmen ideal para as necessidades do seu empreendimento, ou seja, com melhor custo benefício para o padrão genético de seu rebanho.

O professor da PUC Minas, Ilo Rivero, que acompanhou os alunos na formulação da ideia, diz que a solução surgiu durante o próprio evento, a partir dos problemas que eles identificaram na visita à fazenda experimental da Embrapa, em Coronel Pacheco – MG, e ao laticínio da Epamig (Instituto de Laticínios Cândido Tostes), em Juiz de Fora. As equipes também assistiram diversas palestras voltadas tanto para a área de pecuária de leite quanto de tecnologias da informação.

O estudante Bruno Guimarães, que integra a equipe vencedora, disse que, atualmente, as informações sobre os touros estão dispersas nos catálogos das centrais de inseminação e nos sumários dos programas de melhoramento genético das raças leiteiras, desenvolvidos pela Embrapa junto com as associações de criadores. “O I2A Conect irá promover uma integração desses dados, ‘conectando touro e vaca’, auxiliando o produtor nas estratégias de reprodução do seu rebanho”. Segundo Guimarães, a ideia chamou a atenção de representantes da Microsoft, da Alta Genetics (central de inseminação) e de um grande produtor de leite presente no evento.

O chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins, disse que o Vacathon deste ano teve ideias muito maduras e que os estudantes demonstraram grande compreensão dos problemas da atividade leiteira, propondo soluções inovadoras. Além da equipe da PUC Minas, completam as cinco primeiras colocações:

2º colocado: Universidade Federal de Pernambuco – MOOVS – Identifica os movimentos da vaca por meio de câmeras, auxiliando na detecção de cio e na identificação de problemas de saúde no rebanho.

3º colocado: Universidade Federal de Lavras – MILKTHING – Por meio de imagens 3D, o aplicativo estima o consumo de alimento no cocho pelos animais, auxiliando no manejo alimentar do rebanho.

4º colocado: Universidade Federal de Viçosa – VOLUTECH – Sensor para medir com precisão o volume do leite nos tanques de resfriamento. A solução também medirá a temperatura do leite no tanque e enviará o dado para um aplicativo.

5º colocado: Instituto Metodista Granbery – MUUVOICE – Aplicativo de voz que auxilia no manejo do rebanho, permitindo o registro de dados sobre mastite clínica e outros problemas de saúde animal.

O Vacathon é parte do Ideas for Milk, movimento idealizado pela Embrapa Gado de Leite que entra este ano em sua terceira edição. O Ideas for Milk nasceu com objetivo de integrar universidades, empreendedores, desenvolvedores de softwares e hardwares e startups, incentivando o crescimento das Agtechs (startups que oferecem soluções tecnológicas para o setor rural) na pecuária de leite.