Fonte: CNI

Steam Labs contarão com a mentoria do Exploratorium, um dos maiores centro interativos do mundo, referência na fusão entre ciência e arte

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) abrirão dois espaços interativos dedicados a arte, ciência e inovação até 2022, em São Paulo e em Brasília. A iniciativa busca incentivar o aprendizado e o interesse por ciências e tecnologia por meio de experiências práticas.

A implementação dos espaços, que serão denominados Steam Labs, contará com o apoio do Exploratorium, um dos principais centros interativos do mundo, baseado em São Francisco (EUA). A parceria tem sido construída entre as instituições brasileiras e o Exploratorium nos últimos dois anos. Steam é a sigla em inglês para o conceito de ensino baseado na interligação de ciência, tecnologia, engenharia, arte e matemática.

De acordo com a CNI, o maior objetivo do Steam Lab, que é uma iniciativa pioneira no país, será despertar o interesse das pessoas por ciência e tecnologia a partir de experiências, vivências. A entidade explica ainda que esta será uma forma de incentivar a indústria brasileira a refletir sobre os impactos das tecnologias disruptivas e avançar rumo à indústria do futuro.

“Este é nosso maior projeto de colaboração internacional. A missão do Exploratorium é incentivar as pessoas a fazer perguntas, questionar as perguntas e fazer coisas novas. Vamos ajudar com a nossa expertise de traduzir esse espírito nas exibições que organizamos”, afirma Silva Raker, diretora de Negócios de Colaborações Globais da instituição americana.

Até 2022, serão abertos dois centros Steam Lab: um em São Paulo e outro em Brasília. Em São Paulo, o centro funcionará na Avenida Paulista, em um casarão histórico cedido pelo Governo do Estado. Em Brasília, o espaço ainda está sendo negociado. O IEL e a CNI serão responsáveis pela implantação das duas unidades.

LABORATÓRIO ABERTO – Apesar de ser enquadrado na categoria de museus, o Exploratorium de São Francisco (EUA) é considerado um grande laboratório público de aprendizagem, em que o mundo é explorado por meio da ciência, da arte e da percepção humana.

O local abriga cerca de 850 exposições, que convidam crianças, jovens e adultos a explorar diferentes aspectos do mundo por meio de interações científicas, artísticas e da percepção humana. É o local mais visitado de São Francisco e um dos mais visitados do Estados Unidos.

EDUCAÇÃO E ARTE – O Sistema Indústria é uma referência em educação. Alunos das mais de 500 escolas espalhadas pelo país contam com metodologias inovadoras, que resultam em estudantes com desempenho escolar semelhante ao de jovens de países desenvolvidos. O Serviço Social da Indústria (SESI) foi uma das primeiras redes brasileiras a introduzir o ensino de robótica nas escolas e organiza o maior torneio de robótica para estudantes do Brasil.

A indústria também tem importante atuação no mundo da arte. O Prêmio Marcantonio Vilaça é considerado uma das principais premiações de arte do país e completa 15 anos em 2019. Em seis edições, 30 artistas e três curadores foram contemplados com bolsas para produção de trabalhos, que percorreram todo o Brasil em mostras itinerantes.

A cada edição, o prêmio contempla cinco artistas, que, além da bolsa, têm sua produção acompanhada por um crítico ou curador de arte. Exposições itinerantes com obras dos artistas premiados percorrem capitais de diferentes regiões do país.

Em paralelo ao Prêmio, a CNI, o SESI e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) realizam o Projeto Arte e Indústria, que presta homenagem a artistas cujos processos de criação estão relacionados à produção industrial. Ao longo de suas três edições, foram homenageados os artistas brasileiros Abraham Palatnik, Amélia Toledo e Sérvulo Esmeraldo.