FATO: A inovação em dados pode ser um poderoso gerador de crescimento econômico. Na realidade, 61% dos executivos sêniores pesquisados nos EUA e 58% na Europa afirmam que a análise de dados é importante para os planos de suas empresas de contratar mais pessoas. Contudo, a inovação em dados não gera empregos apenas no setor de TI. Estima-se que cada função relacionada a dados criará três vagas de emprego em outros segmentos. A inovação em dados ainda provocará algumas mudanças no mercado de trabalho, pois ajuda a encontrar novas maneiras de realizar tarefas antigas. No entanto, essas alterações deverão ser parecidas com a expansão da Internet, processo que criou, segundo estimativas, 2,6 empregos para cada posto de trabalho perdido ou que tenha deixado de existir.

Uma das áreas com maior potencial de crescimento de emprego é a de análise de dados. Muitas vezes, só é possível compreender os insights contidos nos dados por meio da engenhosidade humana. Hoje, há uma escassez global de analistas e gerentes de dados capazes de ajudar a compreendê-los. De acordo com a consultoria McKinsey, apenas nos Estados Unidos existe uma escassez de entre 140 mil e 190 mil pessoas que tenham o talento analítico avançado necessário para revelar o potencial oculto nos dados. Faltam ainda 1,5 milhão de gerentes e analistas capazes de compreender e tomar decisões com base na análise da economia dos dados.

Em 2014, o piso salarial médio anual de cientistas de dados era de US$ 120.000 e o de gerentes era de US$ 160.000, completa a McKinsey. Muitas pessoas sugerem que, para extrair todo o potencial da inovação com base em dados, as empresas e as autoridades precisam tomar medidas para superar uma grande insuficiência de talentos que se aproxima.