Fonte: Leonardo Gonçalves, Diretor de Varejo e Canais da Certisign

Muito conhecido por conta da sua obrigatoriedade para as entregas fiscais, o Certificado Digital está conquistando cada vez mais corporações privadas e públicas e passa a ser usado em outras aplicações. O motivo? Os benefícios, como a melhora da eficiência operacional, redução de custos e sustentabilidade.

Mas vamos começar do zero: o que é o Certificado Digital?

É um documento de identificação para pessoas físicas e empresas no meio eletrônico. Por identificar inquestionavelmente, ele pode ser usado para diversas aplicações, até mesmo para assinar documentos.

Como ele pode ser usado na gestão das empresas?

“Além das entregas fiscais, é possível usar o Certificado Digital para a emissão de notas, autenticação em sites em que haja a necessidade da segurança da autenticidade, para a assinatura de documentos, entre outras aplicações”, explica Leonardo Gonçalves, diretor de Varejo e Canais da Certisign.

Assinar documentos: como assim?

Segundo Gonçalves, a cada uso do Certificado é gerada uma assinatura digital que tem o mesmo valor jurídico da manuscrita, assegurado pela legislação brasileira. Isso significa que processos físicos podem ser migrados para o eletrônico.

A rede Leroy Merlin, assim como têm feito inúmeras corporações, adotou a assinatura digital para melhorar a eficiência operacional, reduzir custos e promover mobilidade, neste caso, aos signatários responsáveis por assinar as procurações, notificações e os substabelecimentos da companhia. Para isso, foi desenvolvido um portal de assinaturas, onde esses e outros documentos podem ser assinados com validade jurídica por meio da Certificação Digital. Com essa medida, a rede francesa de varejo reduziu em 87% os custos relacionados à compra de papel, impressão, autenticação, transporte etc.

Na prática, como funciona?

“Para assinar documentos, por meio do Certificado Digital, basta acessar um portal de assinaturas, submeter o documento, assiná-lo usando o Certificado e pronto. Sem impressão, sem autenticação adicional e sem idas e vindas de portadores. O envio à outra parte interessada é feito também no meio eletrônico. Com isso a empresa ganha eficiência operacional e reduz custos”, explica Leonardo.